Quem treina diariamente sabe que alguns fatores externos podem atrapalhar e muito os resultados na academia. Afinal, quem nunca acordou indisposto por conta de uma gripe, uma noite mal dormida ou até mesmo a tão temida TPM? Isso para não falar daquelas lesões mais leves ou até mesmo a gravidez.

O problema é que na maioria das vezes uma indisposição vira desculpa para faltar o treino, e quando você vai ver o mês já foi comprometido e você não atingiu os resultados que esperava.

É claro que algumas condições impedem sim a prática de exercícios, mas é preciso discernir quando e se, você pode treinar ou não. Ah, e não podemos esquecer daquelas pessoas que treinam mesmo lesionadas ou muito gripadas, o que também pode ter um efeito contrário do esperado.

Como essa é uma dúvida comum entre os praticantes de musculação, criamos um blog post inteirinho dedicado a responder as principais questões relacionadas à imunidade e como fatores externos podem interferir nos seus treinos e nos resultados na academia.

Imunidade x Treino

Para começar, é preciso entender o papel da imunidade para quem treina. Existe um verdadeiro sistema de comunicação metabólico, imunológico e muscular que participa na coordenação, integração e regulação de tudo que acontece durante a prática da atividade física.

O que se sabe é que diferentes tipos e cargas de exercício provocam alterações distintas na imunidade. Por exemplo,  se o exercício for moderado ele contribui para o aumento da defesa orgânica, enquanto que se for mais intenso e prolongado, ou seja o treino excessivo, ele enfraquece a imunidade.

Isso acontece porque o treino intenso diminui a quantidade de glutamina, um aminoácido não essencial que tem um fluxo direto e contínuo dos músculos para o fígado, intestino, rins e sistema imunológico. Como o sistema imunológico necessita de muita glutamina para a manutenção de suas funções o exercício físico induz o aumento da atividade dessas células.

Aqui entra a questão: então suplementar seria a saída? Nem sempre. É preciso avaliar cuidadosamente se o treino é tão intenso a ponto de necessitar uma suplementação. Vale aquela dica: antes de tomar qualquer tipo de suplemento consulte um especialista.

Mas, voltando a questão da imunidade. Digamos que você tenha um resfriado ou uma gripe leve e você resolve ir para ir academia, afinal você tem metas, certo? Bom, esse é um dos momentos em que a indicação é descansar.

Se o seu corpo está fragilizado e você exercita-se intensamente é bem provável que você acorde ainda pior no dia seguinte. Isso significa, treino ruim e resultados na academia prejudicados. Além disso, é bom lembrar que academias são um paraíso de germes com um monte de pessoas expelindo fluidos em coisas que são compartilhadas. Ou seja, preserve-se e proteja os seus colegas também.

[activecampaign form=1]

Treinar ou não treinar, eis a questão

Se você é mulher sabe (e se não é me perdoe mas esse é um tópico de extrema importância para a comunidade feminina) que treinar de TPM ou mesmo menstruada pode ser uma verdadeira odisseia. Além da cólica e do mau-humor, é bem provável que você se sinta mais fraca.

A grande questão é que esse é um probleminha é mensal, ou seja se você deixar esse pequeno incômodo de atrapalhar sempre, você com certeza não terá os resultados que espera na academia. A boa notícia é que se você está de TPM, ou naqueles dias, deve sim ir treinar.  O ritmo regular ajuda a minimizar os sintomas devido às substâncias produzidas, como endorfina, dopamina e noradrenalina, ligadas à sensação de bem-estar.

Para render mais, outra dica é conversar com o seu treinador. Ele pode criar um programa de treinos específico, conforme seu ciclo menstrual, para garantir que você vai render mais, e os seus resultados não serão prejudicados.

Outra questão que atormenta as mulheres ao redor do mundo é prática de exercícios na gravidez. Ela é super aconselhada, já que mantém a saúde da mulher, ajuda até na hora do parto e faz com que a mamãe volte à forma rapidamente depois que o bebê nascer. Ah sim, e é bom para o bebê também, é claro.

Mais uma vez aqui, é bom ter a ajuda de um profissional qualificado. Embora a gestante possa praticar diferentes tipos de atividades, incluindo a musculação, é preciso um acompanhamento diário das atividades.

Mas, uma coisa é certa. A mamãe pode malhar até o dia de ir para a maternidade, literalmente. Por isso, se esse é o seu caso, não tenha medo, procure orientação profissional e mexa o corpitcho! Dessa forma você garante os resultados na academia durante e depois da gravidez.

Ok, já sei que os homens que estão lendo esse blog post estão se sentindo carentes, mas calma que temos algumas questões que têm muita a ver com vocês também. Eu estou falando das lesões leves, aquelas que são (ou parecem) bobinhas e que muitas vezes os valentões ignoram.

Mas, e aí? Malhar ou não malhar com uma lesão? Nós sabemos que a grande preocupação é não deixar que nada afete os resultados na academia, mas nem sempre isso é possível.

Bom, o primeiro conselho é o mais importante: nunca, jamais ignore sua lesão, por menor que ela seja. Lembre-se que é melhor parar por 1 ou 2 semanas por causa de uma lesão leve do que ter que parar por 1 ou 2 meses por causa de uma lesão grave. Se a sua lesão é leve e você não quer parar de treinar, nossa dica é treine (leve) as áreas não afetadas. Por exemplo, se o você lesionou o ombro, treine perna (leve), ou vice-versa.

Não esqueça também que uma boa nutrição vai dar ao seu corpo a quantidade necessária de energia que ele precisa para se regenerar e ficar pronto para a ação. E sempre, sempre treine com acompanhamento. Se bem executada, a musculação te ajudará a prevenir lesões e não causá-las.

Outra coisinha que pode atrapalhar e muito o rendimento dos treinos é uma noite mal dormida. E quando ela é uma constante você pode ver os seus resultados da musculação irem pelo ralo.

Já comentamos por aqui, algumas vezes, a importância do sono na hipertrofia e na perda de peso. Pois bem, se você anda estressado e isso está afetando a qualidade do seu sono, com certeza você irá perceber que os seus treinos não estão rendendo tanto assim.

Enquanto você dorme, o corpo libera também alguns hormônios fundamentais que estão diretamente associados ao anabolismo como a testosterona, o GH (hormônio do crescimento) e o cortisol. Uma noite mal dormida não estará apenas prejudicando o crescimento muscular, mas estimulará o catabolismo, ou seja, a perda de massa muscular.

Para ajudar existem chás e remédios naturais que podem ajudar você a dormir como um bebê.

Aliás isso nos leva ao nosso próximo tópico: suplementos

personal trainer

Suplementos que dão aquela força na musculação

A oferta de suplementos no mercado não para de crescer. O grande problema é saber o que usar, como usar e se usar. Como já dissemos inúmeras vezes, antes de investir em qualquer produto procure um profissional qualificado que irá te ajudar a descobrir a real necessidade do seu corpo, se suplementação é ou não uma opção, e se ela vai interferir ou não nos resultados na academia.

Mas, se você é do tipo curioso e gostaria de saber o que pode ajudar a contornar esses probleminhas (imunidade, TPM, noites mal dormidas, etc), aqui vai uma lista de suplementos que podem ser úteis.  

Glutamina: como já dissemos acima, a glutamina atua no sistema imunológico. Além disso, minimiza os efeitos do overtraining, a fadiga que vem após treinos pesados ou pouco tempo de descanso, e ajuda a controlar os níveis de açúcar no sangue.

ZMA: é um composto de zinco, magnésio e vitamina B6. Pesquisas recentes afirmam que uma das carências nutricionais mais comuns entre quem levanta peso é justamente a deficiência de zinco e magnésio, que são essenciais para diversas funções no organismo como auxiliar no sistema imunológico, atuam em diversas reações químicas e contribuem para o transporte de nutrientes para as células musculares.

Multivitamínicos: treinar com intensidade pode deixar seu corpo desesperado por vitaminas, mas infelizmente a maioria dos atletas é deficiente desses nutrientes. Muitas vezes, o foco em emagrecer impede o consumo adequado de alimentos que poderiam repor os nutrientes perdidos durante a atividade física. Os multivitamínicos podem ajudá-lo se estiver difícil se alimentar de maneira balanceada.

O mais importante de tudo é que você não perca a motivação. Treinar tem que ser prazeroso, não force seu organismo, mas tenha em mente os seus objetivos. Se você quer resultados satisfatórios na academia precisa se esforçar. Não deixa que pequenos empecilhos atrapalhem sua rotina de treinos.

personal trainer